Prof.Claudio Peppe.

Observando-se o Mapa Mundi de Vegetação, as regiões numeradas por 01,02, e 03, correspondem as áreas cortadas pela linha do Equador. Na sequencia temos a Floresta Equatorial Amazônica (01), A Floresta Equatorial Congolesa (02) e a Floresta Equatorial da Indonésia (03).

Em todas essa regiões, predomina o subdesenvolvimento, exploração da mão de obra local (escravidão), as queimadas e incêndios criminosos. São madeireiras internacionais que exploram a madeira na Indonésia, Malásia, Congo e Brasil.

Foi durante o Governo Sarney e a Constituição de 1988, que se permitiu o uso da lenha como combustível na Amazônia e dela pra cá o fogo destrói a a madeira e o solo.

Sarney, autorizou a instalação de 26 usinas siderúrgicas a lenha, ao longo da Ferrovia dos Carajás, com 890 km, ligando ao Porto de Itaqui/Madeira no Maranhão, seu Estado Natal.

Com o governo FHC, mais de 200 madeireiras vieram para Amazônia, destruindo e enriquecendo com nosso patrimônio, que antes dessa destruição somava mais de Quatro Quatrilhões de Dólares em Madeira, mais de 50 mil toneladas de ouro no Pará, 97% do Nióbio do mundo e, as maiores reservas de ferro do mundo, além da bauxita, manganês.

São 110 mil ONGS para 230 mil indígenas, quase uma ONG para cada dois índios. é muita ONG pra pouco índio. 14% do Brasil são reservas indígenas administradas pela FUNAI, CIMI e outros.

Essas terras equivalem a aproximadamente: Portugal,Andorra, Espanha, Itália, Holanda, Bélgica e Noruega.

O total de índios declarados no Brasil chega a 816 mil. Toda semana alguém vira índio no Brasil, além dos índios loiros vindos da Flórida EUA.

Tem razão o Sr Presidente!

NO BRASIL HÁ MUITA TERRA PRA POUCO ÍNDIO

  • 198 visualizações