No ano de 1964, a economia brasileira estava estagnada com inflação,(estagflação) quando os militares começaram a governar. As finanças públicas estavam deficitárias e a inflação anual se aproximava de 100%.

Os militares, assim que assumiram, criaram o Programa de Ação Econômica do Governo (PAEG).

Batizado como Plano de Ação Econômica do Governo (PAEG), ele foi elaborado pelos economistas Roberto Campos, que assumiu o Ministério do Planejamento, e Otávio Gouveia de Bulhões, que ficou responsável pela Fazenda. Sua principal inovação foi a introdução da correção monetária, mecanismo que passou a reajustar contratos, títulos públicos e dívidas tributárias com base na inflação passada.

A novidade permitiu que o governo começasse a cobrir seus gastos vendendo papéis financeiros no mercado, coisa que era impossível anteriormente porque os investidores temiam que a inflação corroesse seus ganhos se emprestassem dinheiro ao Tesouro.

Principais objetivos:

  1. Combater a inflação (que, em 1964, era muito alta);
  2. Aumentar os investimentos estatais (principalmente em infraestrutura);
  3. Reformar o Sistema Financeiro Nacional;
  4. Diminuir as desigualdades regionais (Norte-Sul);
  5. Atrair investimentos externos.

Combate a inflação

A inflação tem origem na expansão monetária, com demanda acentuada e/ou por custo de produção.Assim, o governo Castelo Branco, deu início ao combate a inflação, reduzindo a base monetária e gastos, consequentemente reprimindo a demanda.

Para conter os salários, o PAEG introduziu uma fórmula que previa a reposição da inflação passada e a incorporação de parte da inflação projetada para o futuro. Invenção do economista Mário Henrique Simonsen, a fórmula impôs perdas aos trabalhadores, porque os cálculos do governo sempre subestimavam as projeções de inflação. Mas o arrocho aliviou os custos das empresas e ajudou a segurar os preços, contribuindo para a retomada do crescimento nos anos seguintes.

A adoção de uma medida tão impopular só foi possível por causa do controle rígido exercido pelos militares sobre os sindicatos. O CGT foi posto na ilegalidade e vários líderes trabalhistas do tempo de Jango foram presos logo após o golpe. Nos dois primeiros anos do governo Castello Branco, os militares intervieram em 810 sindicatos, substituindo seus dirigentes por lideranças que oferecessem menor risco de contestação.

Fonte: Folha de São Paulo

2º Fase: Investimentos

Para chefiar o Ministério da Fazenda, Costa e Silva recrutou um jovem economista de São Paulo, Antonio Delfim Netto.

Ninguém mandou tanto na economia como ele. Além de manter os salários amarrados pela fórmula criada por Simonsen, o governo passou a controlar os preços dos principais produtos, que só podiam subir com autorização de um conselho formado por quatro ministérios. A taxa de câmbio usada nas transações com o exterior era determinada por Brasília, que também controlava as principais fontes de crédito, de curto e longo prazo.

Fonte:Folha de São Paulo

Em 1967, a economia dava sinais de recessão devido ao aperto monetário reprimindo a demanda, é quando Delfim Netto, então encarregado pela economia do país, passou a investir nas empresas estatais, nas áreas de siderurgia, petroquímica, geração de energia, entre outras.

As medidas surtiram efeito, e os investimentos nas estatais renderam muitos frutos e lucros. O processo de industrialização finalmente havia chegado ao Brasil, gerando milhões de empregos e o processo tão esperado da urbanização.

As Reformas

O Sistema Financeiro Nacional foi institucionalizado e implementado (1964/68) na economia brasileira, durante os governos do presidente Marechal Castelo Branco e, do Marechal Arthur da Costa e Silva, seguindo uma orientação que privilegiou a especialização de suas instituições e mercados segundo áreas de captação e aplicação dos recursos mobilizados.

Quanto à Reforma do Sistema Financeiro, foram criados o Banco Central (o “banco dos bancos”, responsável pela emissão de papel moeda e pelo controle das operações de comércio exterior do país) e o Banco Nacional de Habitação (BNH), este último tinha por objetivo atender ao problema de moradia do país.

Neste contexto são exemplos:

    as Financeiras atuando com exclusividade na captação de recursos, pela colocação de Letras de Câmbio, e aplicando esses fundos no financiamento do consumo em operações de Crédito Direto ao Consumidor (CDC);

    as Sociedades de Crédito Imobiliário (SC), captando em conta de poupança (cadernetas) e pela colocação de Letras Imobiliárias, aplicando esses recursos nos programas habitacionais.

    os bancos de Investimento, colocando CDBs e RDBs e aplicando o dinheiro arrecadado no financiamento do capital de giro e fixo das empresas

    as sociedades Corretoras, instituições auxiliares, atuando com exclusividade nas Bolsas de Valores etc.

Fonte: CNBV – COMISSÃO NACIONAL DE BOLSAS DE VALORES E BOVESPA.

Índice Bovespa, criado em 1968

O Índice Bovespa é o mais importante indicador do desempenho médio das cotações do mercado de ações brasileiro. Sua relevância advém do fato do Ibovespa retratar o comportamento dos principais papéis negociados na BOVESPA e também de sua tradição, pois o índice manteve a integridade de sua série histórica e não sofreu modificações metodológicas desde sua implementação em 1968.

Fonte: Bovespa

Em 1969, quando Emílio Garrastazu Médici assumiu a presidência, o “Milagre Econômico” acontecia, como melhor período da economia brasileira, colocando o Brasil com maior crescimento percentual do PIB mundial, juntamente com os Tigres asiáticos.

Alguns fatos marcantes do período até 1985

    O Brasil saia da 45ª economia mundial, para a 10ª

    O país se torna a 2ª maior potencial naval (construção).

    Chega a 6ª potência siderúrgica

    Mais de 270 empresas estatais foram criadas

    Implantado o Grande Projeto Carajás

    Foram construídas as maiores usinas hidrelétricas do país e do mundo - Itaipu,Tucuruí, Jupiá, Ilha Solteira

    Criado o Proálcool em plena crise do petróleo

    Foi descoberto petróleo na Plataforma Continental,em destaque RJ

    Dezenas de estradas de rodagem

    Estradas de ferro - Destaque para a Ferrovia dos Carajás com 890 km

    Ponte Rio-Niterói

    Desenvolvimento e aparelhamento de grandes portos - Tubarão (ES), Itaqui - Ponta da Madeira (Ma)

    Aeroportos

    Foram criadas 16 Universidades;no período

    Fechou uma parceria com os Estados Unidos e criou o Mobral, um programa que tinha como objetivo diminuir o analfabetismo no país

    Pólos Petroquímicos em São Paulo (Cubatão) e na Bahia (Camaçari)

    Construção dos maiores estádios, ginásios, conjuntos aquáticos e complexos desportivos em diversas cidades e universidades do país.

    Implementação do Metrô em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza.

    Criação da INFRAERO, proporcionando a criação e modernização dos aeroportos brasileiros.

    Criação do FGTS, PIS, PASEP.

    Criação da Eletrobras;

    Criação da Nucleobras e subsidiária; Criação da Embratel e Telebras;

    Usina Angra I e Angra II;

    Indústria aeronáutica, naval, bélica e automotiva.

    Fomento e financiamento de pesquisa: CNPq, FINEP e CAPES;

    Cursos de mestrado e doutorado;

    INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM;

    FUNRURAl.

    Criação da EMBRAPA

    SNI;

    Polícia Federal;

    Código Tributário Nacional;

    Código de Mineração;

    Zona Franca de Manaus;

    IBDF Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal;

    Conselho Nacional de Poluição Ambiental.

    SUDAM, SUDENE, SUDESUL

    POLOCENTRO

    Projeto RONDON

    E outros mais

.

  • 4134 visualizações