Todos os dias, muitos homens e mulheres em todo o mundo lutam para alimentar seus filhos com uma refeição nutritiva.

A fome no mundo está aumentando:

Da África e da Ásia à América Latina e Oriente Próximo, existem 821 milhões de pessoas no mundo que não recebem comida suficiente para levar uma vida normal e ativa

O número estimado de pessoas subnutridas aumentou de 777 milhões em 2015 para 816 milhões em 2016 e, 821 milhões em 2018. Mas se olharmos mais tempo (2005), o gráfico mostra redução.

Em um mundo onde produzimos comida suficiente para alimentar a todos, 821 milhões de pessoas - uma em nove - continuam a dormir com o estômago vazio todas as noites. Ainda mais - um em cada três - sofre de alguma forma de desnutrição.

Erradicar a fome e a desnutrição é um dos grandes desafios do nosso tempo. Não só as conseqüências do que não é suficiente - ou o mal - causam sofrimento e saúde precária, também diminuem o progresso em muitas outras áreas de desenvolvimento, como educação e emprego.

Em 2015, a comunidade global adotou os 17 Objetivos Globais para o Desenvolvimento Sustentável para melhorar a vida das pessoas até 2030.

Fome Zero - promete acabar com a fome, conseguir segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável e é a prioridade da WFP.(World Food Programme)..

Todos os dias, o WFP (Programa de Alimentação Mundial em inglês) e seus parceiros trabalham para aproximar-nos de um mundo de fome zero. Com a nossa ajuda alimentar humanitária, fornecemos alimentos nutritivos para aqueles com necessidade urgente. Enquanto isso, nossos programas complementares abordam as raízes da fome, criando a resiliência das comunidades, por isso não precisamos continuar salvando a mesma vida a cada ano.

CRIANÇAS COM MENOS DE 5 ANOS

Embora a prevalência das deficiência nas crianças pareça diminuir para as médias globais e regionais, em 2016, 155 milhões de crianças com menos de cinco anos de idade em todo o mundo sofreram um crescimento atrofiado, aumentando o risco de sofrer deficiência de capacidade cognitiva, enfraquecendo o desempenho na escola e no trabalho , e morrendo de infecções. Globalmente, a prevalência caiu de 29,5% para 22,9% entre 2005 e 2016.

O mundo fez grandes progressos na redução da fome: há 216 milhões de pessoas com menos fome do que em 1990-92, apesar de um aumento de 1,9 bilhões na população mundial. Mas ainda há um longo caminho a percorrer, e nenhuma organização pode alcançar Zero Hunger se funcionar sozinho. Se queremos ver um mundo livre de fome até 2030, os governos, os cidadãos, as organizações da sociedade civil e o setor privado devem colaborar para investir, inovar e criar soluções duradouras.

  • 1737 visualizações