Bolivianos são os que mais vieram para a capital no século 21

Ninguém é apenas paulistano - somos um pouco portugueses, italianos, japoneses, espanhóis e, principalmente, a mistura de tudo isso.

O Sistema brasileiro Jus Solis

No sistema do “Jus Soli”, a nacionalidade originária é obtida em virtude do território onde o indivíduo tenha nascido. Logo, não importa a nacionalidade dos pais. Esse sistema tem uma grande aplicação devido a imigração.

Portanto, nasceu no Brasil, brasileiro é de acordo com o Jus Solis.

O Sistema Italiano Jus Sanguinis

O “Jus Sanguinis” é o direito de sangue em que a pessoa, cujos pais sejam nacionais italianos geneticamente e nascidos na Itália, é considerado italiano desde que o seu nascimento seja inscrito numa Conservatória do Registo Civil antes de atingir a maioridade.

Portanto, todos os filhos de imigrantes italianos registrados no Cartório de Registro Civil, antes da maioridade,serão italianos legítimos, mesmo tendo nascidos no Brasil. Benito Mussolini dizia: Uma gata que dá cria na china, não nasce chinês! Nasce gato, capisce!

Os recém-chegados

As dez nacionalidades que mais vieram para São Paulo no século 21

No total, 292.288 estrangeiros se mudaram para São Paulo entre 2001 e 2017, praticamente o equivalente à população de uma cidade como Taubaté. Os bolivianos, facilmente notados sobretudo nos bairros centrais da cidade, como o Bom Retiro, lideram o ranking.

Marianella Foto: Amanda Perobelli/Estadão

Depois aparecem chineses, haitianos, peruanos, americanos, argentinos, colombianos, paraguaios e franceses. Na outra ponta do levantamento, há nacionalidades que só "exportaram" um cidadão para a capital paulista: casos de Lesoto, Samoa Americana e Lichtenstein.

Isso remete à nossa História, cheia de histórias de imigrações. São Paulo foi construída graças ao suor daqueles que vieram de fora, muitas vezes sem nada, prontos para fazer a vida. Em diferentes levas, a cidade recebeu portugueses, alemães, italianos, japoneses, espanhóis, judeus de diversas nacionalidades, russos, coreanos, chineses - em um movimento que começou com a fundação da vila de São Paulo de Piratininga, por padres portugueses e espanhóis, e intensificou-se a partir do fim do século 19. Não por coincidência, foi ao longo do século passado que a cidade deixou de ser provinciana para se tornar uma efervescente capital cultural e econômica.

Pateo do Collegio

O complexo histórico-cultural-religioso Pateo do Collegio pertence à Companhia de Jesus, ordem religiosa dos jesuítas . Em meio aos arranha-céus do centro da capital paulista, o Pateo do Collegio, berço dessa que se tornou uma das maiores metrópoles do mundo, foi o local onde São Paulo nasceu. Em 1554, o Padre Anchieta, após expedição que partiu do litoral, resolveu construir uma dependência para servir de alojamento e colégio para catequização dos índios, fundando assim a cidade de São Paulo. Funciona no local o Museu de Anchieta.